10 passos para conquistar um envelhecimento saudável

Um idoso saudável tem sua autonomia preservada, tanto a independência física como a psíquica. O apoio da família também é essencial para que vivam felizes.

Nathan Rodrigues

12/09/2019 às 09h02 - quinta-feira | Atualizado em 12/09/2019 às 14h55

Shutterstock

Você já parou para pensar no que anda fazendo para garantir um envelhecimento saudável? Se não, deve começar já!

O envelhecimento faz parte do desenvolvimento do ser humano e a expectativa de vida tem aumentado.

De acordo com as Nações Unidas, existem 705 milhões de pessoas acima de 65 anos no mundo — contra 680 milhões entre zero e quatro anos.

Pela primeira vez na história, há mais idosos no mundo do que crianças pequenas.

Aqui no Brasil, a última pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que a expectativa de vida dos brasileiros subiu para 76 anos.

Essa é uma boa notícia, sem dúvida, mas é preciso garantir, ainda no presente, um envelhecimento saudável.

O envelhecimento ativo e saudável consiste na busca pela qualidade de vida, de modo que a pessoa tenha sua autonomia preservada — tanto a independência física como a psíquica.

Neste texto, aprenda a olhar com para seu dia a dia, indetificar mudanças e adotar hábitos mais saudáveis para chegar bem na terceira fase de sua vida.

10 passos para um envelhecimento saudável

Ainda que seja um período da vida marcado por limitações físicas e cognitivas, a velhice não é sinônimo de fragilidade ou inoperância.

Muito pelo contrário. Essa fase da vida pode ser curtida com muita saúde e disposição.

E para isso acontecer, precisamos olhar com muito critério para nosso estilo de vida hoje. Afinal de contas, são nossos hábitos que podem garantir (ou não) uma terceira idade com mais qualidade de vida.

Para aproveitá-la dessa maneira, adote esses 10 passos para conquistar um envelhecimento saudável

1. BUSCA DA ESPIRITUALIDADE

rawpixel-unsplash

Percebemos, especialmente na maturidade, como é importante a atividade espiritual do idoso, dar oportunidade ao idoso de se reconectar com essa esfera.

Na terceira idade, essa busca particular e constante por algo que dê um (novo) significado para a vida para além das coisas materiais, que potencializa a prática do Amor Fraterno, da paz e compaixão, pode reconduzir o ser humano ao caminho da felicidade e harmonia.

+ Como a espiritualidade pode ajudar no seu dia a dia

2. ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Shutterstock

A alimentação deve ser enriquecida com muita verdura e muita fruta. Como muitos idosos não se alimentam corretamente, é necessária a inclusão de suplementos com algum tipo de vitamina e mineral. Complexo B, C e Zinco são imprescindíveis para suprir as necessidades.

Além disso, é importante também estimular o funcionamento do intestino com iogurte e fibra, evitar a gordura animal e a saturada, aumentar o consumo de óleo de oliva e reduzir o consumo de açúcar.

+ 6 excelentes dicas para manter uma alimentação saudável

3. ATIVIDADES FÍSICAS REGULARES

Shutterstock

Para envelhecer com saúde, a atividade física pode ser uma importante aliada, pois evita que o seu desempenho nas tarefas diárias seja comprometido.

A prática de exercício físico traz excelentes resultados para que o corpo reaja bem às transformações que passa com o tempo. Sem contar que os exercícios físicos elevam expectativa de vida de idosos em 5 anos.

4. PREVENÇÃO DE ACIDENTES E QUEDAS

Shutterstock

Fraturas causadas em idosos por conta de tombos podem ocasionar até incapacitação. São vários os motivos que levam os idosos a cair: a própria fragilidade do organismo, a fragilidade muscular, a distribuição dos móveis dentro de casa.

Por isso, torna-se necessária realizar adaptações para evitar acidentes em casa.

5. ATIVIDADES EM GRUPO

Shutterstock

O convívio social é importante em qualquer faixa etária, principalmente na terceira idade. Busque sempre atividades novas, e pode ser sim com outras pessoas idosas.

Relacionar-se com outros idosos é imporatante para perceber que outras pessoas também passam pelos mesmos problemas, mas que buscam soluções diferentes e que podem servir para a sua vida.

6. LAZER

Shutterstock

A convivência social exerce um papel determinante para a qualidade de vida. Idosos que têm grupos de amigos vivem mais e melhor, pois trocam afeto, bons sentimentos e experiências.

7. TREINE A MEMÓRIA

Shutterstock

Mantenha o cérebro ativo, sempre buscando aprender coisas novas, com o computador, por exemplo; fazer leituras, depois discutir o que leu; interagir; ter amigos; e resolver quebra-cabeças ou palavras cruzadas.

Inclusive, temos alguns exercícios para você treinar sua memória.

8. VISITE SEU MÉDICO

Shutterstock

A prevenção de doenças também é importante, pois o idoso tem mais tendência a desenvolver doenças como hipertensão e diabetes. Um Acidente Vascular Cerebral (AVC) leva à piora o equilíbrio, por exemplo.

Por isso, as visitas ao médico precisam ser mais frequentes na terceira idade. 

9. CUIDE DAS FINANÇAS

Mesmo aposentados, muitos idosos ainda são responsáveis pelo sustento da casa. Por conta disso, acabam se descontrolando financeiramente. 

Confira aqui as principais dicas para economizar e não ser pego de surpresa.

10. SEJA ATIVO!

É na terceira idade que muitos ainda podem fazer o que sempre desejaram, mas não realizavam por falta de tempo, a exemplo de viagens.

Dessa forma, conhecem novos lugares, compartilhando momentos prazerosos com amigos e familiares, elevando a autoestima e a satisfação em viver.

Não tenha medo de envelhecer! =)

Essa afirmação é cabida porque existe, caro(a) amigo(a), um quadro patológico para quem teme a chegada da velhice.

O que é gerontofobia?

Para algumas pessoas, estar perto de idosos ou identificar em si mesmo marcas de que o tempo está passando pode ser algo bem assustador.

Esse quadro patológico é chamado de gerontofobia, o medo de envelhecer. O termo pode soar desconhecido aos seus ouvidos, mas não é tão raro assim, infelizmente.

Uma pesquisa indica que 95% dos brasileiros encaram o envelhecimento com temor.

"As pessoas vão envelhecer, mas para algumas, se deparar com isso pode ser aterrorizante e assustador", afirma a dra. Cristiane Felipe, psicóloga com especialização em gerontologia pela Universidade Federal de São Paulo.

Em entrevista à Super Rede Boa Vontade de Rádio, a psicóloga explica que a rejeição à velhice está associada ao medo do fenômeno da morte.

(Nesse sentido, vale destacar que, como aprendemos na Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, a morte é um fenômeno natural de passagem para o Outro Lado da Vida, o Mundo Espiritual).

"Muitas pessoas entram em pânico porque percebem que o tempo está acabando, não suportam ficar próxima às pessoas que estão velhas e começam as buscas por alternativas que enganem essa fase de envelhecimento", comenta.

É importante destacar que a gerontofobia, se não for tratado com a devida atenção, pode prejudicar sua saúde ainda no presente.

Como lidar com o medo de envelhecer?

É possivel transformar a ideia de perda em ganho, transformando esse medo em aprendizado, amadurecendo.

Para não sofrer com a gerontofobia, devemos trabalhar nossa relação com o tempo e por fim às questões mal resolvidas.

Shutterstock

"O envelhecimento é uma mudança natural, que independe de nossa vontade. Não conseguimos parar o tempo", comenta a psicóloga.

Assim, pessoas narcisistas ou com personalidade egocêntrica, que têm mais dificuldade em aceitar essas mudanças, devem aceitar o fato de que o futuro é inadiável.

No entanto, pode-se trabalho para a construção de um amanhã mais feliz, neste caso, um envelhecimento saudável (e sem neuras!).

Velhice e estética

A dra. Cristiane Felipe explica ainda que o medo de envelhecer também tem relação com fatores estéticos.

E esta busca pela "fonte da juventude" faz com que muitos indivíduos recorram à cirurgia plástica e outros métodos estéticos.

"Daí vem o culto à eterna juventude, à busca incessante de ser jovem, que muitas vezes é reforçado pela sociedade. Existe uma cultura de que só é aceito na sociedade quem é produtivo", ressalta.

Envelhecer com saúde e de maneira ativa

Parte deste culto também diz respeito ao papel do idoso em nossa sociedade. Foi-se o tempo em que os vovôs e vovós se distraiam jogando dominó na praça ou fazendo mantas de tricô e outros trabalhos manuais.

Hoje em dia, muitos deles são adeptos das novas tecnologias. E a cada dia que passa cresce o número de brasileiros com mais de cinquenta conectados à internet.

+ Cresce o número de brasileiros com mais de cinquenta conectados à internet

"Existe uma ideia de que pessoas com mais de 60 anos não é mais produtiva, o que não é verdade", analisa a psicóloga.

E completa: "Falta uma maior conscientização da sociedade. Hoje, as pessoas com 60 anos estão ativas e inseridas na sociedade. Vivemos a Era da Tecnologia e milhares de idosos estão inseridos à internet, adequados e adaptados a essa nova sociedade. Mas a sociedade ainda não está adequada a esse novo idoso. Temos estudos que mostram que pessoas com 65 anos estão iniciando uma nova carreira. Só vamos mudar esse estereótipo criando o novo modelo do idoso: ativo, que está na internet, no mercado de trabalho e quer ter voz".

Conclusão

Para envelhecer bem, é fundamental para o idoso manter-se ativo, física e psicologicamente.

Hoje em dia, há uma ampliação de serviços que permitem que eles possam manter o seu corpo em forma com programas diferenciados em academias, o cérebro ativo com cursos direcionados.

E isso traz uma melhora em dois aspectos: na autoestima e na capacidade cognitiva, com mais atenção, mais memória.

Shutterstock

Chegar à velhice não significa que você vai ficar parada, sedentária ou até mesmo sem graça. São muitas as formas para garantir o bem-estar e a alegria de viver. Basta que cada um encontre a sua.

Finalizamos este texto com importante advertência do jornalista, radialista e escritor Paiva Netto:

"Não acredito na velhice como sinônimo de derrota. Velho é aquele que desanimou, perdeu o Ideal. Sejamos sempre jovens, em qualquer idade".

Para ter um envelhecimento saudável é preciso começar desde já!

O Portal Boa Vontade lembra que jamais podemos nos esquecer que as pessoas idosas têm grandes contribuições para a sociedade.


* Com colaboração de Karine Salles.