6 dicas excelentes para manter uma alimentação saudável :)

Segundo estudo internacional, o tamanho exagerado de porções em restaurantes contribui para o aumento da obesidade.

Gabriele de Barros

14/01/2019 às 10h07 - segunda-feira | Atualizado em 14/01/2019 às 14h21

A obesidade é considerada uma epidemia global pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Estima-se que 1,9 bilhão de adultos tenham sobrepeso, dos quais 600 milhões estão obesos. E isso ocorre por diversos motivos.

Eis aqui mais uma prova: de acordo com um estudo coordenado pela Tufts University, e com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), o tamanho das porções de comida servidas em restaurantes populares contribui para o aumento da obesidade. O trabalho, publicado no British Medical Journal (que você pode ler, em inglês, clicando aqui), pesou e mediu o valor calórico de uma refeição completa em cinco países — Brasil, China, Finlândia, Gana e Índia.

buscasaude.com

Com exceção da comida chinesa, o volume calórico por prato feito, como é chamado no Brasil, chega a ser, em média, 33% maior do que a de um lanche de fast food. Conforme os dados, o tradicional prato feito brasileiro (com arroz, feijão, frango, mandioca, salada e pão) tem 841 gramas e 1.656 kcal.

“Os profissionais da área da saúde que lidam com pessoas obesas estão muito preocupados em orientar a população para não comer fast food, mas na hora que vai ver a refeição completa, ela também está exagerada”, afirma à Agência Brasil a pesquisadora brasileira Vivian Suen, do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP).

Além da quantidade de comida oferecida pelos restaurantes em uma única refeição, o estudo mostra que 94% dos pratos à la carte e 72% dos servidos em fast foods continham mais de 600 kcal, mais que o consumo energético recomendado pelo Sistema de Saúde Pública da Inglaterra (NHS).

“Se você vai a um desses restaurantes em que a porção é excessiva, divide. Não coma tudo. E tente, dentro daquilo que existe disponível, escolher as opções mais saudáveis. Depois que a pessoa ganha peso é muito difícil perder”, recomenda Vivian Suen.

Diante deste cenário, nós, do Portal Boa Vontade listamos 6 dicas para você manter uma alimentação saudável. ;)

1. Coma de tudo um pouco

shutterstock

Os nutrientes responsáveis por dar cor aos vegetais e verduras também realizam funções importantes para o bom desempenho do nosso corpo. Ao adotarmos uma alimentação saudável — com ingredientes de variadas cores — oferecemos ao organismo todos os nutrientes necessários para que se tenha um funcionamento equilibrado, cumprindo todas as tarefas de forma saudável e retardando; prevenindo doenças.

Vale lembrar que já citamos a importância de um prato colorido para uma alimentação saudável e você pode conferir mais informações sobre o assunto AQUI.

2. Beba pelo menos 8 copos de água por dia

shutterstock

A água é um componente essencial para o funcionamento ideal do nosso corpo. Ela constitui mais de 60% do organismo humano e está presente em todas as funções necessárias à vida. Depois do oxigênio, a ausência de liquido é o que mais faz falta no desempenho corporal, daí a importância de sempre se manter hidratado.

+ 10 BOAS RAZÕES para beber água — e uma consequência surpreendente!
+ 5 mitos sobre a água (que muita gente acredita!)

Ter constantemente uma garrafinha de água por perto é um hábito fácil e importante de se adotar. ;)

3. Consuma frutas, verduras e legumes

Shutterstock

Verduras, legumes e frutas são ricos em vitaminas, minerais e fibras. Portanto, devem estar presentes diariamente em nossas refeições. A ingestão adequada destes alimentos contribui para o controle de calorias, para uma boa saúde e ainda protegem contra o aparecimento de doenças.

+ 4 excelentes motivos para comer + frutas
+ Como conservar frutas, legumes e verduras por mais tempo

O corpo precisa de energia e devemos consumir gorduras, carboidratos e proteínas. Contudo, sem as vitaminas e minerais presentes nos alimentos coloridos, o nosso organismo não saberia como catalisar os nutrientes necessários para um bom desenvolvimento corporal.

4. Evite doces e alimentos calóricos

Shutterstock

Evite comer exageradamente alimentos com calorias vazias, ou seja, aqueles sem valor nutricional para o nosso organismo. Apesar de comida pronta ser mais prática, não é nada saudável. Pelo contrário. A maioria dos produtos industrializados são ricos em sódio, corantes, conservantes e outros aditivos químicos que fazem mal à saúde.

Comer esses alimentos de vez em quando não há problema, o que prejudica a saúde é comê-los em excesso. Então, que tal trocar o hambúrguer de fast food por um lanche mais nutritivo? Fica a dica! ;)

5. Coma sem pressa

Shutterstock

Coma devagar e mastigue bem o alimento, tá? Isso permite com que o cérebro processe de maneira eficiente o recado enviado pelo hormônio de saciedade, indicando que já se comeu o suficiente e impedindo que se coma mais que o necessário.

Além disso, a mastigação adequada auxilia na digestão, prevenindo determinados incômodos digestivos e promovendo uma maior absorção dos nutrientes alimentares.

6. Não faça dietas sem acompanhamento profissional

shutterstock.com

É importante enfatizar que muitos prejuízos podem acompanhar os regimes realizados sem um acompanhamento médico adequado.

Quando um nutricionista planeja o programa alimentar de um paciente, muitos aspectos individuais são levados em conta como exames médicos, aversões e intolerâncias alimentares, questões genéticas, entre outras informações. O que funciona para outra pessoa pode não servir para você, tá? Então, antes de começar qualquer dieta consulte um profissional especializado. ;)
______________________________________________________________________
*Com informações dos sites Agência Brasil e Assisbrac.