Como a espiritualidade pode ajudar no seu dia a dia

A espiritualidade também está ligada ao entendimento e aperfeiçoamento do próprio indivíduo — e, consequentemente, de seu Espírito Eterno.

Nathan Rodrigues

14/08/2019 às 15h34 - quarta-feira | Atualizado em 29/08/2019 às 14h15

shutterstock

Na correria do dia a dia, muitos se esquecem de refletir na importância da espiritualidade para suas vidas.

As constantes pressões sociais, os pesados compromissos profissionais e financeiros, bem como os problemas de ordem pessoal, andam cobrando um preço muito caro à saúde das pessoas. Não é surpresa, infelizmente, que nossos tempos registrem números tão preocupantes sobre o estado emocional e mental das pessoas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão será, até o ano de 2020, a doença mais incapacitante do planeta. 

Um presente muito palpável...

A situação do Brasil, nesse contexto, é muito preocupante: um relatório da Organização Pan-americana da Saúde (Opas), entidade vinculada às Nações Unidas, divulgado em março de 2019, mostra que o país possui as maiores taxas de incapacidade por depressão (9,3%) e ansiedade (7,5%) do continente americano.

Com o esgotamento mental e emocional das pessoas, a quem (ou a que) recorrer para superar os desafios diários da vida?

A resposta para isso, além do tratamento clínico, imprescindível apoio material, pode estar mais perto do que pensamos: o exercício da espiritualidade.

Acredite, são muitos benefícios da espiritualidade em nossa vida.

O que é espiritualidade?

Não é tarefa fácil definir, em algumas linhas, o que é espiritualidade. Esse substantivo feminino tem sido amplamente estudado em seus significados diversos.

No entanto, espiritualidade pode ser conceituada como uma busca particular e constante por algo que dê um (novo) significado para a vida para além das coisas materiais, a partir de uma experiência transcendental, quepotencializa a prática do Amor Fraterno, da paz e compaixão, reconduzindo o ser humano ao caminho da felicidade e harmonia.

Por isso, tal busca ainda está diretamente ligada à (re)conexão com algo maior, nem sempre visível aos olhos, seja ele Deus, uma força da natureza ou simplesmente um “eu” interior.

O jornalista, radialista e escritor Paiva Netto, estudioso de temas bíblicos há mais de seis décadas, traz importante contribuição a essa análise.

Em seu artigo “Tudo é espiritual”, ele explica:

“Pode parecer, algumas vezes, a certos leitores ou leitoras, que eu não entenda espiritual e religioso como sinônimos. É que, no campo mais elevado das ideias, deste modo geralmente não o são. Pelos conceitos humanos, Religião é aquilo que todo mundo compreende como tal: a-p-e-n-a-s  r-e-l-i-g-i-ã-o! Isto é, aquilo que se enquadra numa respeitável tradição de fé. Mas chegará o dia em que qualquer um poderá alcançar, pelo entendimento desenvolvido, que, como já lhes afirmei, tudo é espiritual, não somente na esfera religiosa, bem como na política, na filosófica, na científica, na artística, na econômica, na esportiva, na vida doméstica ou pública, e assim por diante. (...)”.

Então, o que é espiritualidade?

Ela também está ligada ao entendimento e aperfeiçoamento do próprio indivíduo — e, consequentemente, de seu Espírito Eterno.

Victor Freitas/Pexels

Dito isso, podemos partir para as vantagens de se desenvolver esse lado espiritual e o quanto esse desenvolvimento pessoal ajuda na resolução de problemas do cotidiano.

A espiritualidade no dia a dia

Como mostramos anteriormente, os problemas de natureza íntima e externa (que se acumulam em um mundo cada vez mais caótico) afetam a vida das pessoas de maneira avassaladora e em vários níveis.

É por isso que o exercício da espiritualidade no dia a dia deve ser visto como uma ferramenta fundamental para o ‘sustento’ de nossas próprias existências.

Ao direcionar nossos olhos para uma nova perspectiva, mais otimista e equilibrada, depositando mais fé, Amor Fraterno e compaixão em nossas ações, diminuímos consideravelmente a possibilidade de sofrermos com o estresse e a ansiedade ou de fazermos péssimas escolhas — que trarão muitas dores de cabeça no futuro — e cometer erros de julgamento, por exemplo.

Shutterstock

Afinal de contas, a espiritualidade é uma força transcendente que nos impulsiona a agir no Bem.

E ao cultivá-la, mudando nossa ‘frequência’ vibratória, nos ligamos a pensamentos, discursos e ações no Bem, trazendo para perto de nós amigos (visíveis e invisíveis) que estão sintonizados nessa mesma vibração.

Consequentemente, nos afastamos de qualquer energia negativa que possa ‘manchar’ nossos pensamentos e nossas ações.

Por conta disso, ao cultivar a espiritualidade no dia a dia, estaremos mais fortalecidos e preparados para lidar com todas as questões da vida (problemas profissionais, familiares ou de saúde, situação financeira etc.).

Encontrar a Paz Interior

Nesta busca constante por um novo sentido, que nos leva a encontrar outros significados e interesses na vida, podemos alcançar a tão desejada Paz Interior, capaz de tranquilizar nossa mente e acalmar nosso coração.

A espiritualidade, nesse sentido, oferece instrumentos poderosos e eficazes para a solução de qualquer problema. A oração, por exemplo, tem por objetivo fortalecer o Espírito do indivíduo, contribuindo para o enfrentamento de desafios e para o equilíbrio mental e espiritual de quem a realiza.

Divulgação TBV

Não à toa, cientistas da Universidade Duke atestaram o poder da oração, afirmando que a prática pode influenciar positivamente a capacidade orgânica de enfrentar doenças. 

De acordo com o estudo, o lobo frontal (parte do cérebro que ativa o sistema imunológico) é fortalecido quando a pessoa faz prece ou canta músicas religiosas. 

Os cientistas afirmaram também que a pessoa que crê em algo maior tem mais saúde física e mental, pressão arterial normal e um sistema de defesa orgânica mais forte.

Sobre o poder da oração, o já mencionado jornalista e escritor Paiva Netto afirma, em seu artigo “Amar é uma Oração”:

“A Prece não é o refúgio dos covardes nem dos ociosos. Ela nos eleva, o trabalho nos realiza. O Papa reza, o Dalai-Lama medita, Chico Xavier (1910-2002) orava, os rabinos entoam suas súplicas, os evangélicos cantam seus louvores a Deus, os islâmicos recitam o Corão Sagrado... O que é a Prece senão o Amor que se dispõe para grandes feitos? Um irmão ateu, quando medita e pratica um ato que beneficia a coletividade, está orando. Em Crônicas e Entrevistas , escrevi que orar e meditar se assemelham. Rezar não é uma ação simplesmente figurativa. É o mais forte instrumental que a essência humana, o Capital Divino, possui. O monge alemão Tomás de Kempis (aprox. 1380-1471) grafou, em Imitação de Cristo: “Sublime é a arte de conversar com Deus”.

Shutterstock

Orar — meditar ou qualquer outra ação que tenha poder dignificante —  é capaz de transformar vidas e tem efeitos práticos comprovados!

Espiritualidade no mundo material

Diante de tantos benefícios, é possível cultivar a espiritualidade em um mundo tão preso ao que é material?

Sim, é possível — e nós temos uma super dica para você, que tem interesse em se aprofundar no assunto.

A dra. Julia Nezu, advogada, presidente da União das Sociedades Espíritas (USE) Regional de São Paulo e presidente e fundadora do Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo Eduardo Carvalho Monteiro, palestrará, no dia 18 de outubro, no Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, o ParlaMundi da LBV, localizado em Brasília/DF, durante o Fórum Mundial Espírito e Ciência.

Na ocasião, a dra. Julia explanará justamente sobre a espiritualidade em um mundo material.

O evento, promovido pela Legião da Boa Vontade, estimula um debate amplo e fraterno, acerca desses temas e apresenta as contribuições das diversas áreas do saber espiritual e humano para a construção de uma sociedade mais solidária, altruística e ecumênica, visando implementar suas propostas no campo pragmático das realizações da sociedade civil. 

O Fórum Mundial Espírito e Ciência, da LBV, já tem a confirmação de diversos palestrantes e também contará com uma palestra da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo sobre "Matéria também é Espírito", tese do jornalista Paiva Netto.