Doe Sangue: Ajude a salvar vidas!

Este simples ato solidário não faz mal à saúde de quem doa e pode salvar até quatro vidas

Karine Salles

24/11/2021 às 21h23 - quarta-feira | Atualizado em 24/11/2021 às 23h20

Shutterstock

Neste dia 25 de novembro, é celebrado em todo Brasil o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue. A data é destinada a todos que se manifestam com esse ato de solidariedade humana, sendo essa uma forma de valorizar a doação voluntária.

Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o número de doadores de um país seja de 3% a 5% do total da população. Contudo, segundo dados do Ministério da Saúde, este índice no Brasil está bastante aquém do indicado, não chegando a 2%. No Brasil, são coletadas anualmente 3,2 milhões de bolsas de sangue. Em seus mais de 29 anos de atuação, a Fundação Pró-Sangue já registrou mais de 4,6 milhões de doações, sendo 87% dessas pessoas doadoras voluntárias, em oposição aos 13% que realizam a doação vinculada.

Embora seja um número absoluto expressivo, no Brasil ainda são muitas as pessoas que desconhecem ou têm dúvidas sobre como doar, fazendo que a quantidade de bolsas de sangue por ano seja baixa, quando comparada à de outros países. A  hematologista Selma Soriano afirmou que "a doação é um ato voluntário, altruísta e de solidariedade. Se as pessoas não se encaminham a um banco de sangue para fazer a sua doação, teremos problema de baixa de estoque e podemos ter, em algumas vezes, dificuldades de atender pacientes que precisam da transfusão".

Ela explicou ainda que, em épocas de chuvas e frio, os bancos ficam em situações críticas, pois geralmente há um aumento nos casos de resfriado ou gripe. "O doador precisa ficar 14 dias afastado dos bancos, [para doar] só quando ele estiver bem. Por isso, qualquer pessoa que tenha tempo disponível pode comparecer a um banco de sangue, de duas a três vezes por ano, e fazer sua doação."

Depois de coletado o sangue, é possível, numa bolsa, obter quatro componentes para o tratamento de diversas doenças. É um procedimento rápido com o qual, numa única doação, o voluntário pode ajudar até 4 vidas. Sendo assim, a sociedade conta com o apoio dos voluntários, que são os heróis do cotidiano, salvando tantas vidas por meio da doação de sangue.

DOE SANGUE

Nessa assistência àqueles que precisam de ajuda, muitas pessoas de Boa Vontade arregaçam as mangas e se dirigem aos hemocentros do Brasil para doar sangue. Uma delas é o sr. Paulo Roberto Brito que colabora há pelo menos 20 anos. 

baixio.ce.gov.br


Ao Portal Boa Vontade, ele conta que já doou para vários hospitais e postos de coleta. Sua maior motivação é o fato de saber que está salvando vidas. "Sabemos que muitas pessoas precisam de sangue, após sofrerem acidentes ou fazerem algum tipo de cirurgia. É necessário abastecer os bancos de sangue, para que essas pessoas sejam atendidas”. Sabendo que cada doação ajuda a salvar até quatro vidas, imagine o que 20 anos já não fizeram!

Apesar de encontrarmos pessoas que, assim como o sr. Paulo, doam regularmente, temos que ressaltar que a doação voluntária de sangue precisa ser ainda mais praticada. Por essa razão, em 2012, o Ministério reduziu a idade mínima para doação: de 18 para 16 anos (com autorização do responsável). Em 2014, a idade máxima também foi elevada para os 69 anos, fazendo com que o número possível de doadores voluntários aumentasse.

“Vale muito a pena ser doador de sangue, porque a gente se sente muito útil. Só de pensar que estamos salvando vidas! Quando termina a coleta, a gente se sente feliz, aliviado por saber que doou de si algo que pode sempre doar pelo bem de outros. Quando as pessoas começarem a doar, sentirão essa sensação tão boa e não vão querer abandonar a prática”, destaca Paulo Brito. 

Shutterstock

SEJA UM DOADOR

Em seu artigo Doe vida, o jornalista, radialista e escritor Paiva Netto salienta: "A doação de sangue, aplaudível vereda que aproxima o ser humano de sua humanidade, é indispensável em favor de tantos que lutam para sobreviver". Ser doador de sangue é um ato de solidariedade humana, que salva muitas vidas diariamente. Porém, muita gente ainda não faz parte desse time de doadores porque tem algumas dúvidas. E para esclarecer todas e mostrar para você o quanto sua doação faz a diferença, conheça 10 mitos e verdades sobre a doação de sangue e as etapas da doação.

Portal Boa Vontade lembra que existem algumas normas técnicas definidas pelo Ministério da Saúde para a doação. Elas visam à segurança do doador e de quem irá receber o sangue. Antes, todos os candidatos passam por uma entrevista de triagem, que é realizada por um profissional de saúde, em que serão analisados histórico médico, hábitos e condições de saúde do doador. As respostas são confidenciais e a entrevista é feita individualmente, sem a presença de acompanhantes. Após o questionário, é realizada a aferição dos batimentos cardíacos, da pressão arterial e temperatura, além do teste de anemia. Somente após essas etapas é que o candidato estará aprovado para a doação de sangue. Parece um monte de coisa, mas é super fácil, e salva vidas! =)