Como atitudes irresponsáveis trazem consequências materiais e espirituais

Em nossa Permanente Campanha de Valorização da Vida, destacaremos neste texto como algumas ações podem atentar contra nossa própria existência.

Nathan Rodrigues

07/02/2018 às 10h16 - quarta-feira | Atualizado em 10/05/2018 às 14h33

Nós, do Portal Boa Vontade, acreditamos que é necessário promover uma reeducação profunda do Ser Humano e seu Espírito Eterno para conseguirmos fazer do mundo, nossa morada coletiva, um lugar melhor. Até porque muitos problemas enfrentados pela Humanidade estão relacionados com nossas próprias atitudes, muitas vezes desmedidas e irresponsáveis. Os desarranjos ambientais, como desmatamento, desperdício de recursos e poluição  são provas disso.

+ Consumo sustentável: 10 formas de poluir menos o planeta
Conheça quatro aplicativos para economizar água

Essas atitudes inconsequentes, amigos, atentam contra nossa própria existência. Em nossa Permanente Campanha de Valorização da Vida, destacaremos neste texto como certas ações, tomadas, em muitos casos, como válvula de escape para algum problema, ou simplesmente como uma forma de se buscar uma felicidade que não é verdadeira, como mostrarão as consequências, podem nos prejudicar material e espiritualmente.

Afinal de contas, estamos corpo, mas somos Espírito, como preconiza o presidente-pregador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, José de Paiva Netto.

Um caminho de sofrimento

O uso de álcool e drogas causa inúmeros malefícios, como ratifica esse relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS). Ainda assim, mesmo diante de tantas informações, esse caminho é trilhado por muitas pessoas. Um triste e doloroso caminho ~ e não apenas para quem faz uso de tais substâncias.

Shutterstock

Ao contrário do que muitos pensam, essas drogas não ajudam a sair de problemas, pelo contrário, criam outros, com marcas mais profundas, que ficam mascaradas pela aparente sensação de felicidade causada pela ebriedade. E o que vem depois desses breves momentos de êxtase? Muita dor e sofrimento.

Numa reunião ocorrida em Viena, no início do ano passado, a então diretora-geral da Organização Mundial da Saúde, Margaret Chan, afirmou que as drogas causam cerca de meio milhão de mortes por ano e que esse dado representa apenas “uma pequena parte do dano.” Sério, não?

Alcoolismo na juventude: alerta aos pais

As informações referentes ao alcoolismo também são alarmantes. O consumo cresce, principalmente entre os jovens. Segundo um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado em agosto de 2016, pouco mais da metade dos alunos do 9º ano já experimentaram bebida alcoólica. O número equivale a 1,5 milhão de adolescentes de 13 ou 14 anos.

"Muitos são os motivos e podem acontecer ao mesmo tempo, desde problemas familiares, influência de amigos, curiosidade e até por automedicação. Sabemos que entre jovens a curiosidade e a influência de amigos é que levam ao uso dessas substâncias", explica a dra. Leda Nobile, especialista em dependência química e medicina comportamental pela Universidade Federal de São Paulo, à Super Rede Boa Vontade de Rádio.

Shutterstock

Outras pesquisas indicam ainda que o consumo de álcool na juventude também está ligado a características de personalidade, como agressividade, dificuldade para lidar com frustrações e impulsividade, histórico na família e até questões emocionais e mentais, como depressão e Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). Sugerimos a leitura de um documento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria, que ratifica essa relação (leia aqui, na íntegra).

"A oportunidade e a disponibilidade também são suficientes para que o jovem experimente", comenta dr. Cláudio Jerônimo (confira a entrevista completa do psiquiatra no vídeo a seguir).

Os resultados? Podem ser bem desastrosos. Outro relatório divulgado pela OMS apontou o álcool como o maior responsável por mortes de brasileiros entre 15 e 19 anos, seja em acidentes ou por paradas cardíacas. Já fizemos uma matéria para destacar as consequências da perigosa relação entre álcool e direção. Sugerimos a leitura, é só clicar no link, ok?

Esses números ganham corpo, segundo profissionais da saúde, porque muitas famílias subestimam o uso do álcool na adolescência, entendendo-o apenas como algo corriqueiro. Pais e responsáveis precisam desmistificar essa questão, tratando-a com muito cuidado e estando sempre atento aos adolescentes, a fim de identificar qualquer sinal e oferecer a ajuda necessária.

Como ajudar quem passa por um desafio de vício

O consumo de álcool e drogas é preocupante entre os adolescentes, mas também cresceu na Terceira Idade e entre mulheres, até mesmo entre aquelas que estão grávidas. E quando vira crônico, chegando a um nível de dependência, pode trazer sérios prejuízos, como isolamento e defeitos congênitos, além de ser motivador para doenças como câncer e asma. Isso sem deixar de mencionar as consequências espirituais dos vícios. No vídeo abaixo, o ministro-pregador da Religião Divina, Marco Dametto, apresenta explicações sobre o assunto.

Por isso, convidamos você a entoar conosco: Viver é Melhor! Este pioneiro brado da Religião do Terceiro Milênio nos ensina a optar sempre pela vida. Sendo assim, é necessário que a família participe mais ativamente deste trabalho de prevenção, como pontuamos nesta matéria, conversando e instruindo seus filhos, netos, sobrinhos e primos com frequência. “Ela deve conversar de uma maneira aberta, sem confronto, orientando para que ele procure ajuda especializada”, recomenda a dra. Leda.

shutterstock

A abordagem não deve fazer uso de frases com julgamento ou nenhuma conversa mais dura. Isso acaba por afastar ainda mais a pessoa, e não ajuda em nada. No diálogo, EVITE falar coisas como essas:
- Você tem de tudo!
- Nunca lhe faltou nada!
- Você não tem jeito mesmo...
- Você nos envergonha!

É possível se livrar das algemas do álcool e das drogas em qualquer fase da vida. Não há situação que não possa ser transposta e nem estamos sozinhos. Sabe por quê? Podemos contar, além de nossos amigos e entes queridos, com a ajuda do Pai Celestial, pois Ele está conosco em todos os momentos de nossas vidas.

No artigo "Armagedons, desperdício e crack", o jornalista Paiva Netto traz importante reflexão sobre o assunto. Ele escreve: "Os problemas têm solução quando os seres humanos realmente se dispõem a resolvê-los. É uma questão de respeito ao divino privilégio de existir. Por isso, aqui se encaixa como uma luva este pensamento de Henry Ford (1863-1947), que certa vez definiu a Boa Vontade como a maior força da Vida: ‘Os tempos de riqueza não nascem por acaso. Surgem como resultado de muito esforço e pertinácia'. Esse mesmo empenho devemos empregar no combate às drogas que infelicitam tantas famílias e na devida reabilitação dos seus usuários. O crack, o álcool, o tabaco, só para citar alguns, são, portanto, lamentáveis Armagedons a serem superados".

O criador da Comunicação 100% Jesus acerta ao classificar o uso do álcool e das drogas como um verdadeiro Armagedon. Quem passa por isso ou tem algum ente querido nesta situação sabe o quanto é doloroso. E outra valiosa lição que o Divino Amigo nos deu foi a de entender a vida além do que os olhos materiais podem enxergar, sabendo que a nossa origem é espiritual. Por isso, temos que levar em consideração que as consequências dos nossos atos não se restringem à matéria. Essa capacidade de vencer vai além das condições materiais, mesmo estando diante de enormes desafios, como o consumo de álcool e o uso de drogas. Por ter o Médico Celeste ao nosso lado, nossas qualidades serão multiplicadas para alcançarmos as soluções.

Consequências do comportamento sexual de risco

Ainda dentro os cuidados que devemos ter com nosso corpo e com nosso Espírito, toda atenção quanto à atitude desregrada no sexo. Ou seja, o ato que não leva em conta os laços amorosos e espirituais, e é caracterizado pela irresponsabilidade, falta de cuidado e consciência, e que também traz uma série de perigos ao corpo e ao espírito. É sempre Nunca podemos pensar que o sexo só é uma ação carnal, ok?

Do ponto de vista espiritual, esse ato deve ser visto com muita seriedade e compromisso. A ministra-pregadora da Religião do Terceiro Milênio, Shirlei Braga, explica o porquê: "O primeiro ponto a ser destacado é o fato de lesar a outra pessoa naquilo que é mais sagrado, que é o seu sentimento. Isso não vai acontecer sem ter um prejuízo para si mesmo, pois teremos que arcar com a responsabilidade de todo o mal que ocasionaremos à outra pessoa".

SXC

Não podemos pensar "mas se as partes aceitarem, não há mal causado a ninguém." Levar esse tipo de ideia adiante é desacatar uma energia sagrada, capaz de gerar uma vida. As consequências disso temos visto cada dia mais: o desrespeito ao corpo (tanto o feminino quanto o masculino), que tem gerado sofrimento, doenças, e impactos que vão além da matéria.

Afinal de contas, o comportamento sexual irresponsável ainda pode romper com um planejamento que foi feito antes mesmo de estarmos reencarnados. "As pessoas se unem, muitas vezes, para a formação de um lar ou para evoluir. Tudo isso pode ser prejudicado. Na Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, acreditamos que a família é constituída primeiramente no Mundo Espiritual. Então há compromissos sérios assumidos pelo casal, toda uma trajetória evolutiva que a irresponsabilidade pode prejudicar", completou.

ISTs

Outra consequência decorrente do sexo irresponsável são as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos. O termo é considerado mais adequado por instituições de saúde, substituindo a expressão Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). A Organização Mundial de Saúde (OMS), inclusive, já a utiliza. 

"Nem toda infecção é uma doença. Se ela não for tratada, pode se transformar numa doença", explica o dr. Valdir Pinto, do Programa Estadual e Municipal de DST/Aids, da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo. Acompanhe a entrevista completa do doutor ao programa Viver é Melhor, da Boa Vontade TV:

O programa Viver é Melhor, da Boa Vontade TV (canal 196 da NET e da Claro TV, 212 da Oi TV, 11 analógico e 11.1 digital em São José dos Campos/SP), de segunda à sexta-feira, às 14 horas. Saiba a abrangência da emissora.