Exercícios físicos e dieta equilibrada são essenciais para prevenir o colesterol

A doença é um problema porque não dói nem incomoda e a pessoa geralmente demora a procurar tratamento, o que prejudica o diagnóstico.

Karine Salles

22/12/2015 às 17h10 - terça-feira | Atualizado em 22/09/2016 às 16h04

Shutterstock

Todo dia é dia de cuidar da saúde. Sabendo disso, o Ministério da Saúde chama a atenção da população para o elevado consumo de gorduras. A data é destaque, pois as doenças do coração, seguidas do câncer, são a maior causa de morte natural no Brasil.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e as sociedades médicas recomendam ingestão diária de colesterol inferior a 300 mg para a população em geral e menor que 200 mg para pessoas com histórico de doenças cardíacas. Lembre-se de que todos os alimentos de origem animal têm colesterol. Portanto, dê preferência a alimentos de origem vegetal: frutas, verduras, legumes e grãos.

COMO SE ADQUIRE O COLESTEROL?

O colesterol é o grande vilão de diversas doenças cardiovasculares que as pessoas adquirem com o passar do tempo, seja por má alimentação, genética, seja ainda por excesso de peso. Apesar disso tudo, ele é uma gordura útil ao organismo, compondo várias partes do corpo, principalmente o cérebro. Porém, o alto nível dela no sangue vai fazendo que essa gordura se deposite nas artérias, o que estreita os vasos a ponto de impedir a passagem do sangue.

Popularmente chamado de gordura no sangue, o colesterol é uma substância gordurosa, esbranquiçada e sem odor. Em pequenas quantidades, é necessário para algumas funções do organismo; em excesso, causa graves problemas.

Ao Portal Boa Vontade, o cardiologista Marcelo Assad explicou o processo de funcionamento e o controle dos níveis de colesterol no organismo. Parece até contraditório, mas, de acordo com o especialista, "sem o colesterol não viveríamos".

Antes de tudo é preciso saber que há dois tipos diferentes de colesterol: o bom e o ruim. O colesterol bom, chamado de HDL, protege o organismo, recolhendo o colesterol ruim depositado nos vasos sanguíneos para ser eliminado pelo fígado. O prejudicial, conhecido como LDL, ajuda a gordura a entrar nas células, fazendo que o excesso seja acumulado nas artérias sob a forma de placas de gordura. 

"Esse acúmulo altera o endotélio, que é a camada que recobre internamente as artérias, facilitando o depósito de outras substâncias, como cálcio e fibrina. O resultado é a temida placa ou ateroma, recheada de gordura por dentro." Geralmente, o colesterol ruim está associado a outros fatores de risco, como diabetes, tabagismo e pressão alta.

TRATAMENTO PREVENTIVO

A doença é um problema porque não dói nem incomoda. A maioria da população brasileira está com seu colesterol alterado e não sabe. O desconhecimento em relação à retarda o início do tratamento, o que não é nada bom para a saúde de quem tem o colesterol alterado

A nutricionista Maria Emília alerta para o perigo do consumo de carnes muito gordurosas, como a de porco e linguiças, mas também queijo amarelo, biscoitos, pizzas, salgados, e comidas fritas. “Não é aconselhável comer carne vermelha todo dia. É preciso variar com carnes brancas ou de soja. Peixes são excelentes para ajudar no controle do colesterol. E se for consumir carne vermelha é melhor que não seja frita”, sugeriu.

Entre os alimentos que ajudam a regular o colesterol, a nutricionista cita principalmente os ricos em fibra, como aveia, alimentos integrais em geral, castanhas, nozes. Ainda segundo ela, as frutas, principalmente as vermelhas devem ser inseridas no cardápio, juntamente com os legumes e verduras. 

Mesmo com todos os cuidados com a alimentação, fica difícil controlar o colesterol sem praticar atividades físicas, essenciais para que o corpo fique em forma. “Quando você começa a fazer atividade física você gasta a gordura acumulada e baixa o colesterol. É mais difícil controlar sem atividade física”, ressalta Maria Emília. Correr, caminhar, exercitar-se e manter uma dieta alimentar balanceada colaboram bastante para aumentar o nível do bom colesterol.