Os Fantasmas do LHC e a Unificação da Matéria-Espírito

Esta é a parte final da série “A Material Espiritual”, originalmente publicado na revista BOA VONTADE, nº 227, de 2010, sob o título “LHC, ‘a partícula de Deus’ e o destino da Ciência”, revisado e ampliado pelo autor.

Juliano Carvalho Bento

29/04/2021 às 11h31 - quinta-feira | Atualizado em 29/04/2021 às 14h56

“Fantasmas” no LHC

Vivian R. Ferreira
Juliano Carvalho Bento, físico e responsável pelo Instituto de Estudo e Pesquisa da Ciência da Alma dentro da Academia Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista.

Em fevereiro de 2017, diversos veículos de notícia começaram a anunciar que o LHC teria provado que fantasmas não existiriam. O que ocorreu foi que Brian Cox, físico britânico professor da Universidade de Manchester, apresentador de TV que trabalha atualmente no projeto ATLAS no CERN, em entrevista para um programa de rádio da BBC que se discutia ciência e eventos paranormais, afirmou: 

"Antes da primeira pergunta, eu vou dar uma declaração: não estamos aqui para debater a existência de fantasmas porque eles não existem. Se quisermos que algum tipo de padrão que carregue informação sobre nossas células vivas persista, então precisamos especificar exatamente que meio carrega esse padrão e como ele interage com as partículas de matéria das quais nossos corpos são feitos. Precisamos, em outras palavras, inventar uma extensão ao Modelo Padrão de Física de Partículas que escapou da detecção no Grande Colisor de Hádrons. Isso é quase inconcebível nas escalas de energia típicas das interações de partículas em nossos corpos1."

Em matéria do portal Big Think2 sobre essa informação, o autor do artigo Philip Perry diz que Cox conclui o seguinte, após a primeira afirmação:

"[...] Se os fantasmas fossem reais, ele propõe, eles teriam uma certa frequência ou partícula associada a eles, correspondendo com o humano ou o corpo com o qual uma vez esteve ligado. Se fosse esse o caso, poderíamos detectá-los. Depois de todo esse tempo e com todos os nossos instrumentos avançados, não se captou nada perto disso".

Cox continuou:

“Eu diria que se há algum tipo de substância que está dirigindo nossos corpos, fazendo com que meus braços se movam e as pernas se movam, então ela deve interagir com as partículas com as quais nossos corpos são feitos. E observando como nós realizamos medições precisas dos modos como as partículas interagem, então minha afirmação é que não pode haver coisa alguma como uma fonte de energia que está direcionando nossos corpos” [...].

Comentando essa afirmação Ryan F. Mandelbaum, cientista que trabalhou no CERN e jornalista científico em matéria para o site Gizmodo contrapôs:

"Eu não estou dizendo que fantasmas existem. Eu não acredito em fantasmas. Mas há uma abundância de partículas teorizadas que o Grande Colisor de Hádrons ainda não descobriu, das chamadas partículas supersimétricas a minúsculas partículas de matéria escura chamadas áxions. 'A investigação de matéria escura de baixa energia e de pouca massa é um estudo em andamento', disse Bob Jacobsen, professor da Universidade da Califórnia, Berkeley, que trabalha com o detector de matéria escura LUX, ao Gizmodo. 'Ainda não sabemos se existem áxions. Como você sabe que fantasmas não são feitos de áxions?' Jacobsen me disse para ressalvar essa indagação com o fato de que ele não se aprofundou em métodos para detectar fantasmas com física de partículas, e poderia estar errado.

"Mas, basta olhar para o que o site do CERN diz sobre áxions: '(...) O áxion é uma partícula neutra e muito leve (mas não sem massa), e não interage (ou o faz muito fracamente) com a matéria convencional. De alguma forma, pode- se ver o áxion como um ‘fóton estranho’. De fato, a teoria prediz que o áxion, se existir, poderia se transformar em um fóton (e vice-versa) na presença de campos eletromagnéticos'. Isso se parece muito com fantasmas para mim, senhor Cox. Experimentos como o LUX, uma cuba gigante de xenon na Dakota do Sul, XENON, outra cuba gigante de xenon em uma montanha italiana, e o CERN Axion Solar Telescope, entre outros, estão ativamente procurando partículas de matéria escura e ainda não as encontraram ou as descartaram. Além disso, e se os fantasmas simplesmente não queiram andar pelo Grande Colisor de Hádrons, quando podem estar assombrando pessoas que, de fato, acreditam em fantasmas?"

E finaliza o autor:

"É claro, não estou dizendo que fantasmas existem. Aliás, eu veementemente não acredito neles. Só estou dizendo que, embora o GCH possa explicar muita coisa, ele ainda não descartou a existência de fantasmas".

Método para Comprovação do Espírito

Enfim, talvez a afirmação do físico britânico tenha sido categórica em demasia, mas extremamente útil visto que temos um físico renomado pensando justamente sobre o espiritual na atualidade.

Ou seja,  o que toda essa discussão gerou foi algo muito benéfico. Mesmo sem saber, Brian Cox e Bob Jacobsen nos forneceram uma receita para comprovar a existência do Espírito. De acordo com eles, para essa averiguação necessitaríamos responder as seguintes perguntas:

- Qual meio carrega a informação espiritual?

- Como esse meio interage com as partículas da matéria?

- Em qual faixa de energia habita as partículas do espírito?

- Qual a frequência ou partícula associada ao Espírito?

- Se existe essa partícula,  é necessária uma fonte de energia para movimentar o corpo material?

A Matéria unificada ao Espírito

Para buscar responder algumas dessas perguntas verificamos nos relatos espirituais transcritas por André Luiz (espírito), na psicografia do Legionário da Boa Vontade Chico Xavier, que o pensamento seria composto por uma matéria mental, sendo essa formada de corpúsculos mentais relativamente parecidos com os átomos. Ou seja, o Átomo Espiritual partículas elementares correspondentes, não seriam exatamente as mesmas da matéria convencional.

Uma situação equivalente, ou seja, partículas elementares distintas em sua constituição original, seria o “anti-átomo”, ou melhor, átomos compostos de antimatéria. Porém, a matéria mental não poderia ser composta de antimatéria, visto que uma das propriedades dessa é justamente se aniquilar com a matéria convencional, gerando energia. Ou seja, de acordo com o autor espiritual, esse átomo do Espírito obviamente não se aniquilaria com o correspondente material, mas existiria em simbiose com essa. Podemos assim propor um terceiro estado material, algo como uma “animamatéria”, uma matéria superior numa analogia a quintessência de Aristóteles, onde seus “anima-elétrons”, “anima-prótons” e etc. deveriam possuir um grau de interação com a matéria convencional muito baixo, algo próximo de neutrinos ou dos próprios áxions mencionados.

Essa matéria poderia estar ligada de alguma forma a matéria convencional via alguma partícula de troca como glúons, fótons ou dos hipotéticos grávitons. Contudo, ainda precisaríamos verificar os números quânticos atrelados a essas partículas e se possuem um proporcional com as já existentes. Feito isso, conseguiríamos responder praticamente todas as perguntas de Cox, pois todas essas partículas já estariam em níveis energéticos detectáveis.

Isso vai ao encontro do que a décadas o jornalista Paiva Netto defende em seu artigo “Matéria também é Espírito”:

“Deus é Espírito, consequentemente Sua Política é espiritual; porquanto, no final do raciocínio filosófico mais apurado, até matéria é Espírito. Qual o seu significado? Da fartamente imaginada como concreta, depois de Einstein (1879-1955), nada restou. O que permaneceu foi a Energia, nome científico do Espírito.

"Há muitas gradações de matéria, algumas das quais ainda imperceptíveis aos sentidos humanos. Existem em outras dimensões. E lá são “matéria”, pois visível aos olhos dos que por suas esferas habitam. Jesus e os Profetas não são vistos por nós. Mas onde vivem?

"Graham Greene (1904-1991), famoso escritor inglês, nas suas meditações concluiu esperançoso: 'O nosso mundo (o planeta Terra) não é todo o Universo. Talvez exista um lugar onde Cristo não esteja morto'.

"Na nossa dimensão, veja-se o exemplo da luz. Você pode segurá-la com as mãos? De forma alguma! (pelo menos até agora) Mas os seus efeitos são comprováveis, e a sua curvatura no Espaço, atestada pelo famoso cientista judeu-alemão.

"(...) A revolução de Einstein no campo da Física foi nessa mesma direção: E=mc*2. A conceituação moderna de matéria é nuclear. A imagem da solidez foi substituída pelo circuito fissão/fusão. A liberação da energia, contida no dinamismo dos núcleos acelerados, passa pelos dedos e escapa às mãos dos que desejariam segurar a matéria, firmados em ultrapassados conceitos do materialismo dialético. Eis uma descoberta científica com sérias consequências morais, como todas o são em profundidade.

"Dentro da relatividade dos conhecimentos terrenos mais avançados, ainda cativos da humilhante pobreza da linguagem humana, podemos afirmar que tudo é “matéria” sem o ser como a Humanidade a vem imaginando, desde que um primata mais ousado levantou os olhos do chão, imprimindo erectilidade à sua coluna recurvada, e elevou seus olhos surpresos ao céu, maravilhando-se com o festival de estrelas que poetizam a magnificência de Deus e a Sua Infinita Misericórdia. Naquele momento, a criatura (matéria ainda bruta), clareada pelo primeiro lampejo de sua inteligência erguida às razões superiores, começou a sua difícil e tortuosa ascensão ao Criador (matéria supinamente quintessenciada). (...)

"Ela é Sagrada. Mais que isso: Sacratíssima. O mau uso ou a visão enferma que se tem a seu respeito é que está equivocado. Na verdade, não existindo, da maneira como a vinham concebendo em lucubrações terrenas restritas, já faz ver a sua presença verídica na área espiritual, à medida que a compreensão dos homens se ilumina. Graças a Deus, havendo o ser humano começado a perceber a irrealidade da matéria como forma definitiva (E = mc*2), ela passará a ser analisada nas regiões da Vida Real.

"Não vemos os Espíritos (Energia libertada) nem podemos tocá-los ainda. Todavia, nas dimensões diversas em que gravitam, os iguais se veem e convivem. Num mesmo ambiente astral, podem estar várias individualidades; contudo, os menos evoluídos só verão os Superiores se estes considerarem útil ao crescimento daqueles”.

Conforme aprendemos com a ciência dos aceleradores de partícula, constatar algo nem sempre é enxergar, mas sim analisar dados mediante interpretações daquilo que compreendemos como realidade. Mesmo não admitindo um átomo espiritual, talvez o elo sutil entre espírito e matéria se encontre no campo de Higgs onde a massa é desenvolvida via inércia? Ou talvez já tenha sido verificado em algum espectro de frequência que negligenciamos diante do paradigma material que ainda nos inibe de “enxergar” de outras formas? Aguardemos, assim, o quanto a tecnologia poderá solucionar essas questões, propiciando grandes descobertas dentro da ciência da alma.

Em tempo: Em Julho de 2020, “(...) uma equipe de físicos fez o que pode ser a primeira detecção de um áxion.  Axions são partículas ultraleves hipotéticas não confirmadas pelo modelo padrão da física de partículas, que descreve o comportamento das partículas subatômicas. Os físicos teóricos propuseram pela primeira vez a existência de áxions na década de 1970 para resolver problemas matemáticos que governam a força forte, que une as partículas chamadas quarks. Mas os axions desde então se tornaram uma explicação popular para a matéria escura, a substância misteriosa que constitui 85% da massa do universo, mas não emite luz. Se confirmado, ainda não é certo se esses axions de fato consertariam as assimetrias na força forte. E eles não explicariam a maior parte da massa ausente no universo” (FONTE: https://www.livescience.com/first-evidence-for-axions-xenon.html?fbclid=IwAR3wn4cMYF1iTG7wHC22cCwvvvmsUS0u5S0vBBCmtbh8dwcjddjNVNwgJcE). Ou seja, a ciência vem conseguindo cada vez mais capturar evidências de partículas que que interagem muito pouco com a matéria. Quem sabe o que nos reservará no futuro no campo espiritual.


LER TAMBÉM:
 

+ A Matéria Espiritual - O LHC e o Átomo de Pascal (Parte 1)

+ A Matéria Espiritual - A partícula de Deus e os Novos Paradigmas da Matéria (Parte 2)
 

_____________________________

1 < https://gizmodo.uol.com.br/grande-colisor-hadrons-fantasmas >

2 Large hadron   collider   disproves   the   existence   of   ghosts,   British   professor   claims   por Philip Perry - 24 de Fevereiro de 2017 < https://bigthink.com/philip-perry/large-hadron-collider-disproves-the-existence-of-ghosts-british-professor-claims >.