Dá para viver sem as sacolinhas plásticas?

O plástico dessas sacolas leva cerca de 300 anos para se decompor.

Karine Salles

08/08/2016 às 08h10 - segunda-feira | Atualizado em 22/09/2016 às 16h04

Observe: elas estão por toda parte. Em qualquer lugar por onde você passe sempre tem alguém carregando alguma coisa em uma sacolinha de plástico. Distribuídas aos montes, elas se tornam os sacos de lixo na maior parte das casas, o que impede sua reciclagem. Segundo o Ministério do Meio Ambiente, 1,5 milhão de sacolas são consumidas por hora pelos brasileiros. Famosas desde a década de 1970, elas foram inseridas no mercado brasileiro com o objetivo de ajudar no transporte dos mais variados produtos: de remédios a utilidades domésticas.

Porém, essas sacolinhas se tornaram um grande problema para o meio ambiente. Isso porque a fabricação delas é muito agressiva ao meio ambiente, além de colaborar para o esgotamento da matéria-prima do plástico, o petróleo, um recurso natural não renovável e essencial na produção de gasolina, óleo diesel e asfalto. Além disso, o refino petrolífero causa emissões de gases poluentes.

O plástico dessas sacolas leva cerca de 300 anos para se decompor. Enquanto isso, impermeabilizam o solo, poluem a água, além de entupir bueiros e dificultar o escoamento da água das chuvas, causando enchentes. Nos mares e rios, os resíduos plásticos ainda causam a morte de muitos animais. Uma recente pesquisa divulgada pela revista Science mostrou que anualmente mais de 8 milhões de toneladas de sacolas plásticas são jogadas nos oceanos.

Há décadas, o diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV), José de Paiva Netto, alerta que "a destruição da Natureza é a extinção da Raça Humana", e é mesmo. Inclusive dos animais. A equipe da pesquisa advertiu que, caso providências como a melhora da gestão de resíduos e a ampliação dos sistemas de reciclagem de plástico não sejam tomadas, esta quantidade poderá ter um impacto acumulativo de até 155 milhões de toneladas em 2025. Situação que pode agravar ainda mais a sobrevivência da vida no fundo do mar. As sacolas que jogamos no chão e chegam ao mar, infelizmente, acabam por ser ingeridas pelos animais marinhos, e isso pode levá-los à morte.

DÁ PARA VIVER SEM AS SACOLINHAS PLÁSTICAS?

Para a fundadora da Fundação Verde (Funverde), Ana Domingues, a solução é acabar com as sacolas plásticas e educar o consumidor a usar engradados ou sacolas retornáveis. Caixa de papelão, segundo ela, deve ser a última opção. "Já passou da hora de banir as sacolas. Não tem lógica usar um segundo para fabricar um produto, usar por meia hora e demorar 500 anos para tirar do meio ambiente", comentou.

Abandonar a sacola plástica tem sido a decisão de muitos consumidores, mesmo antes de leis regularem o assunto. A dona de casa Maria do Carmo Santos, por exemplo, diz que as sacolas retornáveis oferecem maior resistência, durabilidade e segurança para as suas compras. "Eu já abandonei o uso das sacolinhas de plástico há muito tempo. Elas poluem demais e sujam nossa casa. Eu até faço coleção dessas sacolas ecológicas que são lindas, práticas e duram muito mais do que as de plástico", disse.

OPÇÕES SUSTENTÁVEIS

Mas aí você deve estar se perguntando: 'Como vou fazer para carregar as compras do mercado? 'E para jogar meu lixo fora?' Calma! O Portal Boa Vontade mostra algumas maneiras sustentáveis:

— Sacolas retornáveis ou ecobags: confeccionadas de materiais recicláveis, as sacolas reutilizáveis são populares e já são vendidas em supermercados. Elas têm durabilidade estimada de cinco anos e podem ser lavadas;

— Cestos de compras: por terem uma estrutura resistente, eles são capazes de levar as compras. Alguns tem o auxílio de rodinhas, o que facilita o transporte.

— Caixas de papelão: você pode conseguir no supermercado. Algumas empresas estão em processo de desenvolvimento de caixas de papelão dobráveis, as quais podem ser levadas até mesmo no porta-malas do carro.

E para jogar o seu lixo fora, o Instituto Akatu indica que você mantenha um único cesto grande de lixo, com os tradicionais sacos pretos, preferencialmente feitos de plástico reciclado, e juntar todos os lixos da casa nele. Para conservar as lixeiras, você pode usar “saquinhos de jornal”, que são bem simples de serem feitos: basta forrar os cestos do lixo do banheiro e da cozinha com jornais para depois colocá-los no depósito maior.  =)