Relembre os primeiros passos da construção do Templo da Boa Vontade

José de Paiva Netto teve a desafiadora iniciativa de levantar, na capital federal, o TBV — antigo sonho de Alziro Zarur, fundador da LBV.

Nathan Rodrigues

13/05/2019 às 10h37 - segunda-feira | Atualizado em 15/05/2019 às 12h31

O Templo da Boa Vontade — a Pirâmide dos Espíritos Luminosos e das Almas Benditas — celebra, em 2019, 30 anos de Ecumenismo sem fronteiras.

Para destacar essa importante marca, resgataremos diversos momentos históricos do monumento, aclamado pelo povo uma das Sete Maravilhas de Brasília.

Jean Carlos

E nada melhor do que começar com os primeiros passos do TBV.

O ano era 1984. José de Paiva Netto, diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV), com a convicção de encontrar um lugar onde fosse mais importante "erigir o Templo do Deus Vivo nos corações humanos", teve a desafiadora iniciativa de levantar, na capital federal, o Templo da Boa Vontade — antigo sonho do saudoso Alziro Zarur (1914-1979), fundado da LBV.

Recorda-se que, em uma madrugada, na sua residência, meditava: “Se há necessidade de um teto para as pessoas se protegerem das intempéries atmosféricas, urgente se faz um local que as abrigue das tormentas do sentimento, esquecidas as diferenças religiosas, ideológicas, políticas, econômicas, de modo que se refaçam espiritualmente, descansando das procelas íntimas. Todo mundo tem uma dor que não conta a ninguém, desde o mais poderoso ao mais simples dos homens, até mesmo os Irmãos ateus”.

Primeiramente, consultou os mais velhos, colhendo suas contribuições.

João Ruiz Lopes
Integrantes do Conselho Fiscal da Legião da  Boa Vontade ouvem as explicações do dirigente da LBV sobre a maquete do TBV, que seria erguido em tempo recorde, em três anos e cinco meses, desde o lançamento da Pedra Fundamental (em 27 de maio de 1986).

Convocou, então, uma reunião com o Conselho Fiscal da Entidade, para o qual apresentou a proposta. Sob efusivo aplauso dos Conselheiros, obteve total apoio.

ESCOLHA DO TERRENO

Haroldo Rocha
O dirigente da LBV analisa a planta do TBV, tendo ao lado o saudoso legionário Waldir Gomes Tristão, então responsável pela Sucursal da LBV em Brasília/DF.

Com o apoio dos conselheiros, Paiva Netto solicitou ao saudoso Irmão Waldir Gomes Tristão (1932-1989), então responsável pela Sucursal da LBV em Brasília/DF, que procurasse terrenos de ampla extensão no Plano Piloto, em razão da grandeza do empreendimento.

“O próprio Irmão Paiva estabeleceu, diante de Waldir, as bases daquilo que deveria ser conseguido em termos de terreno, dimensão e impacto, já que o projeto nem tinha ainda sido desenhado. O que também pouca gente sabe é que a própria quadra 915, onde está  localizado o TBV, foi planejada e constituída na altura por razões da futura construção”, recorda Haroldo Rocha, chanceler da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo.

O momento, contudo, não era dos mais tranquilos. Na época, o Brasil passava por período de grande instabilidade econômica.

João Ruiz Lopes
Outubro/1984: A caminhada de Paiva Netto, acompanhado de legionários da Boa Vontade, pelo amplo terreno onde futuramente seria erguido o TBV.

Paiva Netto não teve dúvidas: apelou para o povo, sempre presente para apoiar os trabalhos da LBV, desde os seus primórdios.

Sobretudo, pôde contar com as mulheres para alcançar esse nobre intento — o próximo capítulo de nossa série sobra a saga heróica de construção do Templo da Boa Vontade. ;)

OUTUBRO NO TBV

O monumento mais visitado de Brasília, segundo dados oficiais da Secretaria de Estado do Esporte, do Turismo e do Lazer do Distrito Federal (Setul-DF), promoverá, no dia 19 de outubro, sob o comando do Irmão Paiva Netto, um especial Encontro das Duas Humanidades (da Terra e do Céu).

Os Amigos Espirituais destacaram, inclusive, em diversas ocasiões, a grande celebração espiritual dos 30 anos do Templo do Ecumenismo Irrestrito.

+ Confira lista de hotéis com tarifas diferenciadas para os 30 anos do TBV

Você não vai ficar de fora dessa, né? =)