No Dia Mundial da Internet Segura, cuidado com a superexposição na web

Wellington Carvalho

10/02/2015 às 21h32 - terça-feira | Atualizado em 22/09/2016 às 16h00

A internet, sem dúvida, é um importante meio tecnológico. Entre suas várias serventias estão promover o acesso a informação, entretenimento, diversão, e uma série de outros benefícios. Porém, não devemos “colocar vendas nos olhos” e ignorar os malefícios que, quando utilizada de forma despreocupada, pode causar. Por isso, nesta terça-feira, 10, celebra-se o Dia Mundial da Internet Segura, importante data para ressaltar os cuidados que devemos ter ao navegar e compartilhar informações na rede mundial de computadores.

Shutterstock

Para se ter ideia, do total de usuários de Internet com idades entre 9 e 16 anos, 70% possuem um perfil nas redes sociais e 53% daqueles que têm de 13 a 16 anos acessam tais redes diariamente, de acordo com a Safernet. Essas redes, infelizmente podem ser meios para publicação de materiais inadequados, desde informações que podem colaborar para a execução de crimes até conteúdos íntimos, que podem acabar causando constrangimentos no futuro.

Vinicius Bueno

Psicólogo e diretor de Prevenção da Safernet, no Brasil, Rodrigo Nejm.

De acordo com o psicólogo e diretor de Prevenção da instituição no Brasil, Rodrigo Nejm, “há vários casos de superexposição no País, principalmente com jovens e adolescentes que usam a internet de forma muito permanente no cotidiano e muitas vezes não percebem a dimensão pública dela. Acabam compartilhando na rede, por exemplo, fotos sem roupa e vídeos das primeiras experiências sexuais”.

Além disso, imagens inapropriadas em perfis de redes sociais, bem como comentários com palavrões ou posicionamentos preconceituosos podem causar arrependimento em seus autores e, mais do que isso: a responsabilidade de responderem legalmente por tais conteúdos. Dessa forma, a própria vida pode correr perigo. “Alguns adolescentes podem se expor e gerarem uma humilhação pública levando-os a cometeram até mesmo suicidio por não saberem lidar com ela”, afirma Rodrigo.

Fora os altíssimos riscos que podem envolver toda a família, exemplificados pelo especialista: “Muitos mostram até mesmo o cheking do voo, ou comentam em que local estão. Parecem informações inofensivas, mas são detalhes da vida pessoal que, quando reunidas, favorecem as ações de criminosos: podem entrar no perfil de um jovem e saber detalhadamente o cotidiano daquela pessoa, por exemplo”.

+ Como pais e responsáveis podem orientar jovens e adolescentes quanto aos riscos da internet?

Por isso, no combate à exposição excessiva na web, a união de todos, principalmente entre pais e educadores, é imprescindível para que a utilização da tecnologia não descambe para lados nem tão bons. Rodrigo Nejm ressalta que “é uma situação para educadores e pais ajudarem a desenvolver a capacidade de crítica dos adolescentes desde cedo, para que entendam a responsabilidade de dar um clique na internet, e não publicarem qualquer coisa sem pensar"

Isso não quer dizer impedir crianças e jovens de usar esta valiosa ferramenta, e sim conscientizá-los a fazer isto de forma correta: "Pais e educadores devem tratar desse tema durante todo o ano. Debater na escola, na mesa de jantar, não proibindo a utilização da internet. É importante fazer as crianças e jovens desenvolverem o senso crítico. Quanto mais debatemos isso na família, na escola e nos meios de comunicação, melhor é a capacidade de lidar com o problema”.

Um importante recado da Humanidade de Cima
O nobre Doutor Bezerra de Menezes (Espírito), dentro da Revolução Mundial dos Espíritos de Luz, a Quarta Revelação, a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, alerta em mensagem publicada pela revista JESUS ESTÁ CHEGANDO!, edição 108: "Todos têm a oportunidade de corrigir os excessos, as exposições pessoais. Sejam mais comedidos, caríssimos Irmãos e Irmãs, menos expostos. Cuidado! A Humanidade se encarrega de destruir aqueles que se expõem demais quando por conta de assuntos particulares!".

E prossegue: "Não me refiro, é claro, aos assuntos ligados à expansão da Divina Causa da Boa Vontade. Estes devem, sim, ser totalmente colocados à luz do Sol. Aí apareçam, subam no ponto mais alto e gritem, divulguem, clamem e chamem para as Obras da Boa Vontade de Deus. Falo-lhes da necessária reserva quanto à exposição pessoal, particular! Não queiram agradar ao mundo, porque podem perder suas Almas. Não queiram amizades por amizades. A amizade verdadeira tem que ser consignada a uma finalidade superior, pelo Bem comum. Do contrário, é falsa, não existe e será derribada a qualquer momento".

Por isso, exemplos como o da jovem paulistana Julia Pedrotti, de 18 anos de idade, devem ser seguidos. Ao Portal Boa Vontade, ela conta como aproveita o ciberespaço para atividades sadias e prazerosas: “Pela internet, assisto comédias, estudo e aprendo lições novas sobre várias áreas, aprendo a tocar novas músicas, converso com meus amigos, sem falar que minha mãe aprende novas receitas culinárias”.

Dessa forma, a conclusão sobre o assunto pode resumir-se no seguinte pensamento do jornalista, radialista e escritor Paiva Netto: “Falta alguma coisa à tecnologia (globalizante)? Sim: coração e mente iluminados (a mundialização da Solidariedade), de forma que, entre outras coisas, a internet seja um poderoso caminho da Paz, e não o sistema nervoso alterado da sociedade tecnológica”.