4 sintomas da dengue que podem passar despercebidos

Você conhece todos sintomas da dengue? Há alguns que podem passar despercebidos. Por isso, nós preparamos esse texto para você!

Gabriele de Barros

31/01/2019 às 10h37 - quinta-feira | Atualizado em 14/05/2019 às 15h45

Você conhece todos os sintomas da dengue?

Com características de gripe, a DENGUE é uma doença febril aguda causada por um vírus. Ela é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais, e atualmente é considerada um dos principais problemas de saúde pública no Brasil, uma vez que as condições do meio ambiente favorecem o desenvolvimento e a proliferação do transmissor. 

Existem quatro sorotipos de dengue, e três deles circulam em território brasileiro. Todos os tipos da doença geram os mesmos sintomas.

No entanto, vale ressaltar que quando uma pessoa já foi contaminada com um tipo de dengue e posteriormente é infectada com um sorotipo diferente, existe uma maior gravidade nos sintomas, podendo levar à hemorragia interna e a outras complicações fatais.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil registrou, até abril, 451.685 casos prováveis de dengue — um aumento de 339,9% em relação ao mesmo período do ano passado.

O boletim informa ainda que 994 municípios apresentam índice elevado de infestação, com risco de surto.

Shutterstock

Alguns Estados têm situação mais preocupante, com uma incidência maior que 300 casos por 100 mil habitantes. São eles: Tocantins, Acre, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo e Distrito Federal.

Vale ressaltar que a atenção redobrada deve estar presente no diagnóstico da doença, visto que as reações corporais podem ser confundidas com uma gripe.

Diante disso, nós, do Portal Boa Vontade, destacamos 4 sintomas da dengue que podem passar despercebidos.

SINTOMAS DA DENGUE

1. Dores de cabeça

Shutterstock

A dor de cabeça é comum tanto na gripe quanto na dengue, porém, na segunda citada, as dores se concentram atrás dos olhos. Esse incômodo é chamado de retro-ocular e ocorre porque a dengue causa uma inflamação nos músculos do corpo, fato que não se encaixa nos sintomas da gripe.

2. Sensação de cansaço e moleza

Shutterstock

Moleza e cansaço são incômodos que estão presentes em diversas doenças, e ambos são decorrentes de um processo infeccioso. Neste caso, é importante ficar atento a sintomas posteriores que podem aparecer para que você consiga excluir uma ou outra doença.

3. Náuseas e vômitos

Shutterstock

Esses sintomas podem ser confundidos com gripe, mesmo que não sejam tão comuns assim nesta enfermidade. Por isso, é necessária toda a atenção para o desenvolvimento da doença. Uma vez que os enjoos surgirem junto com outros sintomas da dengue, como manchas pelo corpo e dores nas articulações, o recomendado é procurar a orientação de um médico o mais rápido possível.

4. Febre de início súbito

Shutterstock

Embora seja um dos sintomas da dengue mais comentados, a febre de início súbito é comum também na gripe. A principal diferença entre elas é que, no caso da gripe, surgirão dificuldades respiratórias, enquanto na dengue a febre pode vir acompanhada de sangramentos na gengiva e/ou no nariz.

PREVENÇÃO

O Ministério da Saúde destacou, conforme noticiou a Agência Brasil, que “é preciso intensificar as ações de combate ao Aedes aegypti para que o número de casos de dengue não continue avançando no país.”

Portanto, a melhor forma de prevenção, independente do sorotipo, é evitar a proliferação do mosquito e se prevenir contra a doença. Há diversas maneiras que você pode se manter seguro e garantir a segurança de outras pessoas. Confira:

1. Evite o acúmulo de água 

Shutterstock

É importante lembrar que o mosquito coloca seus ovos em água limpa, mas não necessariamente potável. Por isso, os pneus velhos devem ser furados ou recolhidos pela limpeza pública, vasos e baldes vazios devem ser colocados de boca para baixo, e caso o quintal seja propenso à formação de poças é recomendado realizar a drenagem do terreno.

Também é essencial lavar regularmente a vasilha de água do bichinho de estimação e manter fechadas tampas de caixas d’agua e cisternas.

2. Tome a vacina

shutterstock

Não quer sofrer com os sintomas da dengue? A vacina contra a dengue foi desenvolvida para prevenir a manifestação do vírus, além de ser tetravalente, ou seja, protege contra os quatro sorotipos da doença. Ela ainda possui a estrutura do vírus vacinal da febre amarela, o que lhe dá mais estabilidade e segurança.

No Brasil, a vacina só pode ser aplicada em pessoas de 9 a 45 anos, faixa etária que representa 70% dos casos de dengue.

3. Use o repelente

Shutterstock

O uso de repelentes, especialmente em viagens ou em locais com grande concentração de mosquitos, é uma medida preventiva importante contra a dengue. É recomendado o uso do produto industrializado, pois apresentam maior grau de repelência do que o caseiro.  

Vale lembrar que a duração e a eficácia do produto são temporárias, sendo assim são necessárias reaplicações ao longo do dia.

4. Coloque tela nas janelas

Shutterstock

Cobrir portas e janelas com telas ajuda a impedir que o mosquito da dengue entre em sua casa. É importante lembrar, contudo, que quando o inseto já se encontra na residência, a medida não será bem-sucedida. Por isso, a eliminação dos focos de reprodução do Aedes aegypti é a maneira mais eficaz de proteção.

5. Seja consciente com o seu lixo

Shutterstock

Evite despejar lixo em valas, margens de córregos e riachos, dessa forma você impede que eles fiquem obstruídos, evitando o acúmulo de detritos e até mesmo enchentes. E não se esqueça que em sua residência as latas de lixo devem estar sempre tampadas. ;)  

6. Limpe piscinas

Shutterstock

Outra medida que pode ser adotada para o combate à dengue é manter as piscinas limpas, uma vez que elas podem se tornar focos da doença em períodos de surtos. Então lembre-se: piscinas em uso devem ser tratadas com cloro semanalmente; quando não estão sendo usadas é recomendado cobri-las com uma lona; e não se esqueça de limpar os ralos externos.

7. Coloque areia nos vasos das plantas

Shutterstock

É muito comum o uso de pratos nos vasos de plantas, porém, essa prática pode gerar o acúmulo de água. Para impedir que isso aconteça, existem três alternativas: eliminar o prato; lavá-lo regularmente para, caso houver, retirar os ovos do mosquito; ou colocar areia que conserva a umidade da travessa impedindo a proliferação da dengue.

Como complemento destas informações citadas no texto, você também pode ler: Esclareça 11 mitos e verdades sobre a dengue.
_____________________________________________________________________________
*Com informações dos sites Agência Brasil, Tua Saúde e Minha Vida.