Férias escolares exigem cuidados redobrados dos pais com acidentes domésticos

Karine Salles

07/01/2018 às 15h00 - domingo | Atualizado em 08/01/2018 às 09h00

Shutterstock
rgb(255, 255, 255);">Pequenos hábitos podem ajudar a prever possíveis riscos de acidentes em casa.

Os meses de janeiro e julho representam, para muitas crianças, a melhor época para diversão e lazer. Porém, engana-se quem pensa que as férias escolares são sinônimo de bagunça. Esse período exige cuidado em dobro dos familiares que possuem filhos pequenos.

De acordo com o Ministério da Saúde, as crianças, a partir de um ano de idade, são as principais vítimas de agravos e mortes por acidentes domésticos. Segundo a coordenadora geral da pasta, Deborah Malta, "elas têm mais tempo livre e os pais devem ficar atentos, pois os acidentes ocorrem com 67% das crianças de até dez anos."

Embora exista o conforto do lar, uma casa pode esconder perigos. Uma pesquisa do Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes (VIVA) aponta as quedas fazem parte das principais causas de atendimentos a crianças nas unidades de urgência e emergência nos hospitais.

Dentro da casa, a cozinha é a grande vilã, por ser um local que reúne vários riscos em potencial. Para se ter uma ideia, os casos de queimadura estão entre as principais causas de acidentes com crianças. Segundo o coordenador da Saúde da Criança do Ministério, Paulo Bonilha, "a criança ficar próxima ao fogão é um grande problema."

A dona de casa Eliane Santana da Ora, moradora do Jardim Ingá, GO, destacou os principais cuidados que tem dentro de casa para evitar acidentes com os filhos: "Procuro não deixar o cabo da panela virado para fora do fogão, nem mesmo deixar as crianças por perto enquanto estou cozinhando. Procuro também guardar os remédios num lugar adequado, onde elas não possam alcançar. Todo cuidado é pouco. Tenho sempre o cuidado de guardar tudo: objetos cortantes, peças pequenas, tesouras, tudo eu tenho trancado em algum lugar".

Traumas e fraturas em braços e pernas também são bastante comuns. Boa parte das contusões, entorses e até mesmo fraturas sofridas por crianças ocorrem dentro de casa. Ao praticar atividades como skate ou patins, é importante usar capacete, joelheiras e outros equipamentos de segurança. Brincadeiras como soltar pipa e jogar bola na rua também apresentam potencial para causar machucados e os cuidados devem ser redobrados, para evitar atropelamentos e choques.

Paulo Bonilha alerta que esses pequenos hábitos podem ajudar a prever possíveis riscos de acidentes em casa "por serem situações de prevenção muito fácil, que está ao nosso alcance". O coordenador de saúde completa que é preciso "estar sempre alerta, observando o ambiente de casa e vendo se não tem algo que possa colocar em riscos as crianças. Tudo isso vai proteger."